Artigos, Roupas

7 maiores erros cometidos por quem vende roupa

Depois de um tempo de experiência, vou te contar quais foram meus 7 maiores erros ao vender roupas. Isso me custou muito dinheiro, dor e tempo de recuperação grande.

Era para fim de ano de 2017, resolvi vender algumas roupas. E, como muitas pessoas fazem, comprei e, realmente vendi bem esse ano.

Me empolguei e… bom, foi ai que eu definitivamente me lasquei!

Não foi na comprar de novas mercadorias mas, uma sucessão de erros. E, como sei que cada perda dói muito para quem esta começando, resolvi fazer esse material gratuito para te ajudar antes de você começar ou desistir de vender roupas.

Independente se você vende em casa, entrega em casa, feiras ou na rua… isto fará sentido para você.

vamos la?

7 maiores erros por quem vende roupa

1 – Não ter noção do orçamento inicial

Eu sei que o cartão de crédito traz muitas facilidades para a vida de qualquer pessoas mas…

Não use cartão de crédito para começar seu negócio!

Quando se tem o dinheiro na mão, você gasta o que tem. E, se tem pouco, seu cérebro força você a escolher algumas coisas e deixar outras. Assim, você pensa melhor no que irá comprar para revender.

Já no cartão de crédito você tem um dinheiro que ainda não tem, passa da cota para gastar (isso se você estabeleceu um limite) e, geralmente corre risco que não conseguir vender até pagar a fatura.

Eu não sou pessimista e destruidora de sonhos mas, por experiência, no começo não temos olhar seletivos e no meio de tantas peças no atacado, pegamos um pouco a mais com a justificativa mental de “aproveitar”.

Com a fatura chegando, o foco na qualidade da venda se perde e, pensamos apenas na fatura. Ai que o “bicho pega”.

Então, reúna um dinheiro e compra a vista. Assim, pode até negociar um desconto. Venda essas peças e reinvista!

2 – “Escolha um produto para a necessidade de seu cliente e não clientes para seu produto”

Essa é uma frase muito conhecida… mas, se você nunca ouviu ela, tudo bem.

Se você ja pesquisou peças para vender ou se encantou muito por algumas peças… PARE AGORA!

O conselho é sempre vender algo que você usaria. Como assim?

Será muito mais fácil falar do produto e passará a verdade que aquilo funciona. Com roupas é a mesma coisa.

O que você precisa pensar é que você esta comprando roupas para outras pessoas e não para você.

Exemplo: Você gosta de roupas mais coloridas. Porem, onde você irá vender, as pessoas gostam mais de peças básicas. A chance de você vender mais diminui.

Como irei saber o que escolher e para quem vender?

Aqui ja envolve os outros tópicos do texto. Quero apenas que você escolha onde vender, quem são essas pessoas, do que gostam e o que mais precisam e não encontram.

Se as pessoas onde você irá vender gostam mais de peças básicas, procure saber a maior dificuldade delas em comprar roupas. E, nem sempre é as peças. Por exemplo: Elas precisem que entregue em casa ou vá ao trabalho durante o horário de almoço…

Ou seja, analise quem são as pessoas e, depois, procure produtos para elas.

Você pode sim vender peças que não usa necessariamente. O que digo é em questão de qualidade! Não engane seu cliente dizendo com peças de má qualidade ou empurre a força. Criar clientes que comprem sempre é uma verdadeira arte.

3 – Investir sem saber se pode sair para vender ou fazer entregas.

Neste ponto, muitas pessoas perdem todo ou a maior parte do investimento que fizeram.

“Nossa, vou pegar essas peças para vender e vou lucrar X!”

Chegam as peças, você manda foto ou posta para as pessoas verem, mas…

  • Quando a pessoa pode ver suas peças você tem compromisso;
  • você mora em uma cidade grande e você não havia pensado neste custo;
  • Seu horário de almoço é corrido para visitar um cliente;
  • Sua empresa não permite que você venda no local;
  • As pessoas querem rapidez e não gostam de esperar a entrega por muitos minutos;
  • Ir ao correio acaba sendo trabalhoso e, você tambem não tinha pensado no frete;
  • E, muitas outras coisas que te fizeram perder a venda porque não conseguiu entregar.

Não estou sendo pessimista mas, quero que você pense em como vai vender para as pessoas que você escolheu.

Se você ja tem um trabalho, tem que aliar seu tempo com o de seus clientes. Não necessariamente os tempos de folgas dos dois.

Se você vai trabalhar exclusivamente com a venda de roupas, ai fica mais fácil atender em horários diferentes.

O ideal seria arrumar um entregador ou um cantinho em casa para que seus clientes possam provar. Mesmo que simples, funciona. Por tempos o quarto da minha mãe era provador para minhas clientes.

4 – Comprar no primeiro fornecedor que aparecer

Lembro que uma história de uma amiga que foi ao Paraguai comprar bijuterias para vender.

Chegou no primeiro lugar e gastou todos seus R$2500 em mercadorias.

Depois, foi andando pelas ruas esperando as outras pessoas fazerem as compras e, tomou um susto!

Custava a metade do preço em outros fornecedores!

Resultado: Chegou na sua cidade e teve que vender a preço de custo. Além das das bijuterias que ela comprou serem mais caras, nas outras lojas haviam mais lindas e da moda.

Então, não se empolgue de primeira e pense um pouco. Só compre quando você fizer os itens anteriores: Arrume produtos para seus clientes e, não clientes para seu produto e, saiba se conseguirá tempo para vender.

5 – Misturar conta pessoal com profissional.

Essa se você fizer, vai nascer um chifre de unicórnio peludo no meio da sua testa e eu vou dar na sua cara! kkkkk brincadeira tá.

Por experiência própria, não faça isso. Pegue um dinheiro separado das suas finanças habituais e comece seu negócio. Por isso nunca indico cartão de crédito.

Por exemplo…

Você esta na rua e resolve comer um lanche e, decide pegar do dinheiro que recém fez uma venda. Não anota o valor gasto e muito mesmo coloca limite para gasto com alimentação diária.

No final, gastou mais que o lucro líquido e não tem dinheiro para reinvestir. Dai, olha para o cartão de crédito e faz compras no atacado com ele. Aumentando ainda mais a bola de neve de parcelas….

E, o resultado de tudo isso? Falência! E isso doi muito! Mas, leve tudo como um aprendizado e não cometa mais esse erro.

Se precisa ficar o dia fora, calcule em seus custos diários como alimentação e possíveis gastos com transporte. Como fazer um caixa diário? Vamos falar disso mais tarde.

Mas, eu não vou poder desfrutar do fruto do meu trabalho?

Claro que sim! Mas, precisa separar o que é despesa de trabalho (alimentação, transporte, sacolas personalizadas) do que é do seu SALÁRIO!

Pague-se como fosse funcionário de sua própria empresa mesmo que seja bem pouco. Conforme você for crescendo, pode aumentar o valor.

Do seu sálario vai sair itens para você… como um livro, sapato novo, maquiagem que a amiga vende, o churrasquinho de domingo, etc.

Não importa o tamanho de seu negócio! Pague salário para você e NÃO ASSALTE SUA PRÓPRIA EMPRESA!

6 – Não usar as redes sociais para vendas! Erro quase fatal

Se você ouviu muito que a internet é o futuro, saiba que não é mais assim.

A internet é o presente, o Agora, e será o amanhã”

Imagino que se você esta lendo esse artigo, tem pelo menos uma conta no facebook e instagram.

E os stories e publicações dessas plataformas são muito fortes para vender e conquistar pessoas. Aconselho muito que você use elas ao seu favor.

Como vender roupas usando a internet e as redes sociais?

  • Pesquise por pessoas mais famosas que vendem roupas do estilo que você escolheu. Por exemplo: se for moda academia, veja os principais perfis que seus clientes tambem seguem.
  • Observando como esses perfis postam, você irá se inspirar para tirar suas fotos, publicações e stories. Ou seja, um boa copiadinha não faz mal a ninguém rsrs. Claro, colocando seu toque especial.
  • Ainda falando das fotos, tente tirar em um lugar claro e com alguma pessoa vestindo as roupas. Pode ser você ou algum amigo bondoso que irá te ajudar… ou pode ser o marido, esposa, irmã, tia, e assim vai…
  • Com as fotos e vídeos produzidos, é hora de começar a postar baseado na suas inspirações que pesquisou. Teste horarios diferentes.
  • Se seu cliente for gente boa, peça para ele ou ela criar um depoimento em foto para você vestindo a peça. Acredite, isso ajuda muito.
  • Com o tempo as pessoas começam a te seguir, não será tudo no primeiro dia. Tenha paciência.
  • E só poste depois de fazer os outros itens para saber seu preço ideal de venda.

7 – Não fazer fluxo de caixa ou o famoso caderno de caixa.

Aqui seria um “resumo” de tudo o que te falei.

Quando você sabe para quem esta vendendo, o custo do fornecedor, custo de transporte para entregas, alimentação ou de tempo, custos das formas de pagamento. Você saberá qual preço vender.

Ai que entra o caderno caixa!

Se você tem dificuldade com planilhas e acha tudo difícil, anote em um caderno! Sim, simplicidade ajuda mais que coisas complexas.

Anote todos os dias que você sair para vender, mais ou menos assim:

Não se assuste com minha letra feia kkkkk

Esse é o modelo mais simples do mundo! Se quiser, pode adicionar mais detalhes como quantidade de peças vendidas para cada clientes, etc.

É para mostrar que mesmo com letra feiosa que nem a minha, FAÇA UM CADERNO DE CAIXA!

Desta forma, você sabe o quanto entra, o quanto sai e, calcular o seu salario e, principalmente pode saber se suas vendas tem mais custos do que ganhos e a forma que você pode melhorar.

Mesmo que simples, sem dados para analisar suas melhorias, você não cresce.

Sei que você pode fazer apenas para renda extra mas, a importância da organização é fundamental.

Seja caprichoso ou caprichosa que o sucesso vem e seus objetivos serão alcançados.

Bom, escrevi muito mais que pretendia e espero que eu tenha ajudado você um pouco.

Se você tem sugestões ou queira dizer algo sobre o artigo, deixe nos comentários que irei responder para você.

Acompanhe o blog para mais dicas para pequenos empreendedores ou dicas de como ganhar ou economizar uma graninha com ações do seu dia a dia.

Abraços!